Hector Silva é diretor de tecnologia (CTO) da Ciena para o Caribe e a América Latina, e sua função é garantir que a arquitetura de rede e as estratégias de tecnologia da Ciena atendam às necessidades regionais dos clientes.

Como o interesse nas telecomunicações da região CALA continua a crescer e eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016 dão mais ênfase à infraestrutura de rede, é importante ressaltar algumas tendências emergentes que estão afetando nossos clientes e parceiros na região. De demandas centradas nos negócios à interação de software/hardware, é nítido o surgimento de grandes mudanças no mercado do Caribe e da América Latina, um fator mais evidenciado por mim durante as visitas às sessões e apresentado na Futurecom, onde mais de 15.000 participantes e centenas de expositores se reuniram para debater sobre as novas tendências e como se preparar para elas. Tomando como base as conversas durante essa conferência e minhas interações diárias com os clientes da região, listo seguir as cinco tendências definidas que as operadoras e fornecedores da CALA precisarão analisar nos próximos meses e anos:

Flexibilidade ou agilidade para monetizar a rede

Empresas e fornecedores estão percebendo claramente a necessidade de transformar suas infraestruturas para que possam atender a uma variedade maior de serviços de modo geral, para se tornarem mais flexíveis, mais responsivos, e explorar novos meios de oferecer aos clientes finais serviços inteligentes que extraiam mais valor de seus ativos de rede. As operadoras desejam saber quais os benefícios da implementação desses tipos de soluções e da evolução de suas redes, da nuvem à conectividade. Com a flexibilidade na mente de todos, é óbvia a necessidade de estar atento para o passo seguinte.

A chegada do 5G

A transição do 4G para o 5G certamente é um tópico que vem a tona com frequência. A discussão acerca do 5G tende a focar nas definições de especificações e desempenho, de usuários a empresas e desenvolvedores de aplicativos que desejam garantir o desempenho correto no momento certo. Apesar de o cenário 4G da região CALA ainda estar em fase inicial, há um claro sentimento de que a infraestrutura de rede deverá continuar a evoluir. De modo geral, a percepção é de que estamos no caminho certo, mas a evolução de nossas redes exigirá mais recursos e a capacidade de aumentar a conectividade; será mais uma questão de como que de por quê.

[Webinar: O futuro das redes submarinas na América Latina]

Implementação da SDN/NFV

O que foi interessante na Futurecom 2014 em comparação ao evento do ano passado é que, no ano passado, a maioria das pessoas falava da SDN/NFV de forma teórica e, neste ano, a conversa teve um tom mais prático, com mais empresas demonstrando soluções que realmente contextualizavam a SDN/NFV.

As empresas estão considerando seus portfólios de conectividade com mais seriedade, com a América Latina se alinhando mais com os mercados norte-americanos e europeus em termos de requisitos de implementação e definição. Ainda há debates sobre os benefícios da SDN em curto prazo e, apesar da visão em mais longo prazo, muitas empresas estão se surpreendendo ao ver o que a Ciena está fazendo agora – elas não precisam esperar dois ou três anos para notar o progresso. Aplicações como a SDN são uma realidade dos dias de hoje e é claro que as operadoras deverão iniciar suas transições de SDN agora.

Análise em tempo real para aumentar a eficiência nos negócios

Como parte do assunto agilidade para monetizar a rede, o tópico sobre serviços sob demanda surge com frequência, especialmente no contexto de superdimensionamento de rede. Para mim, é empolgante ouvir isso, não por querer que as operadoras se sintam ineficientes, mas por saber que a Ciena está fazendo um investimento enorme na solução. A Ciena se destaca na evolução de infraestrutura e serviços, não apenas ajudando as operadoras a desenvolverem estratégias de monetização, mas também fornecendo ferramentas para otimizar seus recursos em tempo real, com um foco que acompanha o ritmo das demandas crescentes por largura de banda e serviços.

Educação

Apesar de haver muitas oportunidades regionais exclusivas para mercados verticais específicos, o que me chama atenção em termos de grande utilidade (e entusiasmo) é o segmento da educação. Há diversas opiniões relacionadas a tendências em acessibilidade, mas tendências gerais em serviços, custos e discussões sobre aprendizado à distância, não só sobre desenvolvimentos de rede/software, mas também sobre a ideia geral de uma “universidade sem paredes.” Nos próximos anos, haverá algo a observar atentamente na região da CALA.

É para esses tipos de tendências que estamos ajudando nossos clientes a se prepararem, tanto tecnologicamente como de uma perspectiva comercial. Ainda que o caminho para a frente não esteja claro, os parceiros e clientes da Ciena poderão contar conosco em todas as etapas. Nós os ajudaremos a transformar suas redes e desenvolver suas estratégias empresariais para acompanhar as tendências e demandas dos próximos anos. O que surgirá de novo para a região da CALA? Observe essas tendências e fique de olho na Ciena.