Desde que a primeira rede pública de telefonia comutada foi lançada, as redes não pararam de evoluir. Por meio de várias etapas de desenvolvimento, as redes se ajustaram para acomodar as novas demandas, desde os pontos terminais fixos que existiam no começo da Internet até as redes de banda larga atuais que conectam usuários móveis a grandes data centers e mídias que consomem grande largura de banda, como Netflix, Amazon e Facebook.

A infraestrutura estática está passando por uma transformação mais significativa do que nunca. A mais nova tendência é a rede autônoma, que vem ganhando espaço há algum tempo. A rede autônoma requer pouca intervenção humana para funcionar. A configuração, o monitoramento e a manutenção são feitos de maneira independente.

Embora represente um grande avanço, a rede autônoma ainda é muito limitada e rígida. A Ciena definiu uma nova abordagem para a evolução da rede: a Adaptative Network, criada para fornecer uma rede capaz de crescer com sua empresa conforme as necessidades de negócios e os mercados mudarem.

A Adaptative Network está reformulando a rede e transformando-a em uma infraestrutura programável e dinâmica criada com base em análise e automação. 

A Adaptative Network possibilita a evolução das infraestruturas atuais dos provedores para um loop de comunicações que coleta informações sobre elementos da rede, instrumentação, usuários e aplicativos e as envia a uma camada de software para fins de revisão, análise e ação, em vez de sobrecarregar a rede.

A Adaptative Network inclui três camadas importantes:

  • Infraestrutura programável: inclui os elementos físicos e virtuais da rede, bem como a telemetria coletada desses elementos. A camada de infraestrutura programável é altamente inteligente e interpreta os dados, de modo que a rede possa tomar decisões, por exemplo, sobre roteamento de tráfego em um circuito que está inativo ou investigação e correção de um problema de latência ou capacidade abaixo do esperado em um link específico. A infraestrutura programável exige uma camada fotônica reconfigurável e uma grade flexível que possibilitem o redirecionamento de canais de ocupação do espectro variável em qualquer caminho e em qualquer espectro ótico na rede. Além disso, uma infraestrutura programável precisa de transponders coerentes e ajustáveis para mapear com eficiência um número flexível de sinais de cliente para a capacidade de linha variável. Isso exige uma rede de transporte ótica (OTN) ou uma arquitetura de comutação de pacotes com finalidade específica.
  • Análise e inteligência: a infraestrutura programável produz volumes significativos de dados. Alguns desses dados fazem parte do Big Data e indicam tendências que a rede aprende e ajusta ao longo do tempo. O Big Data pode informar à rede como ela deve se ajustar no logo prazo, quais padrões de tráfego devem ser analisados e quais partes da rede podem estar vulneráveis. Há também o Small Data: eventos que ocorrem em um ritmo razoavelmente rápido. Pode ser uma oscilação em um circuito ou uma solicitação imediata de um cliente. Esses eventos exigem uma resposta rápida da rede, e essas ações são tomadas com base em análise. Depois que as decisões são tomadas, um operador humano ou as políticas predefinidas podem aprovar ou alterar detalhes conforme o necessário. Em uma rede totalmente autônoma, não há influência da operadora nesta etapa.
  • Controle e automação de software: Pesquisas apontam que a principal causa de falhas na rede são de longe os erros humanos, com estimativas de 32%, segundo um relatório de barômetro de rede ( Network Barometer report) realizado em 2014 pela Dimension Data. A automação efetiva das tarefas de rede, como carregamento dos controladores de acesso e provisionamento de roteadores, pode eliminar esses erros e manter o desempenho máximo da rede. É essencial que a automação seja viável para vários fornecedores. Certas tecnologias funcionam bem com um conjunto de dispositivos de um único fornecedor, mas poucas redes são criadas com base no equipamento de um único fornecedor. As redes precisam interoperar por meio de APIs para funcionar de maneira eficiente e migrar dados com rapidez e eficiência de ponto a ponto.

O desenvolvimento da Adaptative Network representa um divisor de águas para a tecnologia de rede. É uma evolução coesa que oferece suporte para todos os aspectos da automação inteligente, como orquestração baseada em intenção, análise e controle de domínio programável. É uma arquitetura baseada em microsserviços que fornece extensibilidade e dimensionamento. Além disso, utiliza a abordagem de integração DevOps para oferecer agilidade operacional e de serviço.

Por que escolher a Ciena?

A Ciena tem 25 anos de experiência em conectar o mundo, fazendo dela a parceira perfeita para oferecer a Adaptative Network.

  • Experiência de rede inigualável: com mais de 1.300 clientes espalhados pelo mundo, a tecnologia da Ciena está presente em 80% dos maiores provedores de rede do mundo. A Ciena implantou 150 milhões de quilômetros de redes óticas coerentes.
  • Serviços de provedor de rede: a Ciena desenvolveu serviços especialmente para ajudar na evolução das redes dos provedores. A abordagem da Ciena consiste em oferecer suporte durante todo o ciclo de vida da rede, com consultoria, práticas de solução e serviços elaborados de acordo com as necessidades dos provedores.
  • Parceiros: a Ciena aumenta seu valor graças a um excelente programa de parceiros que evolui e desenvolve ofertas e conhecimento especializado para viabilizar todos os aspectos da Adaptative Network.

O portfólio de produtos inigualável da Ciena oferece suporte para a Adaptative Network de diversas formas relevantes. Os principais componentes das camadas de infraestrutura programável, análise e automação  incluem:

  • WaveLogic Ai: o WaveLogic Ai, a próxima geração de tecnologia coerente e líder do setor da Ciena, transforma fundamentalmente a maneira como as redes óticas são criadas e gerenciadas. Com o WaveLogic Ai, é possível ajustar a capacidade de 100 G para 400 G em incrementos de 50 G, o que proporciona um controle sem precedentes sobre a rede.
  • WaveLogic Photonics: é o sistema fotônico inteligente e totalmente instrumentado da Ciena que inclui elementos de linha flexíveis e ótica coerente WaveLogic, que se combinam com ferramentas de software distintas e incorporadas para oferecer automação, controle e visibilidade superiores das redes óticas.
  • Plataformas 6500 e Waveserver®: as arquiteturas de plataforma flexíveis da Ciena oferecem a combinação perfeita entre serviços do cliente e capacidade de linha.
  • Controlador de domínio Blue Planet Manage, Control and Plan (MCP): a Ciena oferece toda a tecnologia de programabilidade definida por software para as operações de serviço e rede de última geração da Ciena. O MCP elimina etapas manuais demoradas e propensas a erros entre várias ferramentas de gerenciamento separadas. Além disso, fornece a base do Blue Planet, que possibilita a evolução das suas operações a fim de viabilizar automação inteligente de circuito fechado em vários domínios de vários fornecedores.
  • Orquestração de serviços de múltiplos domínios (MDSO) do Blue Planet: fornece controle de software para entrega de serviços de automação para redes de vários fornecedores e várias tecnologias, além de se integrar ao Blue Planet Analytics e ao MCP para oferecer suporte a recursos de autodiagnóstico e auto-otimização (circuito fechado) baseados em insights extraídos do Big Data.
  • Abertura: a Ciena desenvolve suas soluções para que os provedores de rede possam personalizar a infraestrutura de acordo com suas necessidades. Essa abertura é o combustível de cada inovação que a Ciena lança no mercado. Por exemplo, ao utilizar APIs e modelos de dados modernos nas camadas de hardware e software, as APIs abertas da Ciena possibilitam telemetria e medição de rede aprimoradas e em tempo real. As APIs possibilitam desenvolvimento de aplicativos mais rápido e fácil de vários fornecedores/várias plataformas, integração simples às ferramentas de TI e uso mais eficiente dos recursos de TI.
  • Segurança: a Adaptative Network é criada com base em uma abordagem de segurança holística que protege dados in-flight (em trânsito) com soluções de finalidade específica desenvolvidas de acordo com os mais altos padrões de criptografia de segurança disponíveis. A Ciena também conta com um portal dedicado para que os usuários possam controlar integralmente o gerenciamento das chaves de segurança.