Meça duas vezes, corte uma vez: planejamento com fiber deep para operadoras de cabo

Carpinteiros e construtores sabem que, se você cortar madeira de maneira inadequada, a peça ficará rapidamente inutilizável. Assim, o pequeno ditado, “medir duas vezes e cortar uma vez? , alerta sobre o planejamento e preparação requeridos para fazer algo de maneira cuidadosa e completa antes mesmo de agir, um ótimo conselho.

Conforme as operadoras de cabo respondem à sede de serviços tais como definição ultra-alta (UHD) ou transmissão 4K, dados de velocidade ultra-alta (HSD), vídeo de alta definição (HD) e inúmeros dispositivos IP interconectados, só podem ser satisfeitos levando a ótica mais fundo em sua infraestrutura de rede HFC (Hybrid Coaxial Cable) de linha fixa existente.

E, embora cometer um erro no corte de um pedaço de madeira custará algum tempo e dinheiro, cometer o erro de posicionamento inadequado da fibra pode ser catastrófico para as operadoras de cabo.

|||incontent|sidebar|1|||

Desenho de redes de cabo com topologia em árvore e ramificação
No início, as redes de cabo eram construídas com uma topologia em árvore e ramificação ou compartilhada, como uma topologia de transmissão unidirecional. A infraestrutura de linha fixa a cabo foi projetada para ser semelhante, independentemente de onde você estivesse, com o número mínimo de ativos e dispositivos inteligentes caros. Existem três seções para árvore e ramificação:

  1. Tronco
  2. Distribuição
  3. Queda

Os cabos coaxiais de tronco foram usados para conectar os cabos de distribuição, depois para um cabo suspenso e, finalmente, para o cliente. Cada uma dessas seções foi conectada usando dispositivos coaxiais de radiofrequência (RF), incluindo amplificadores de tronco e distribuição, acopladores direcionais e taps.

Desenho de redes de cabo com topologia de HFC
Na era do HFC, as seções de troncos e algumas distribuições foram substituídas por nós de fibra, o que melhorou consideravelmente a capacidade e as operações.

Topologia de cabo HFC

Ao longo dos anos, as redes HFC têm sido o facilitador para serviços bidirecionais de ponta, porém, novos desenvolvimentos tecnológicos dentro do setor de cabos estão transformando a arquitetura de cabos existente em um canal interativo de última geração. Até o ponto em que as operadoras de cabo estão vinculadas entre duas grandes preocupações:

  1. Aumento dos custos operacionais e de manutenção fora da planta, o e afeta negativamente o crescimento do fluxo de caixa
  2. Preparação da infraestrutura de linha fixa para novos serviços, reduzindo o tempo de lançamento ao mercado do produto

O ciclo de vida do HFC está chegando perto do ponto de ruptura, já que a demanda do usuário final e os serviços competitivos como o Over-the-Top (OTT) estão enfatizando a parte HFC do ecossistema da operadora de cabo. Ao mesmo tempo, as operadoras de cabo estão repensando o headend, pois o tráfego de vídeo continua se expandindo em toda a rede MSO.

|||pull-quote|1|||

Desenho de redes de cabos que levam a fibra mais profundo
Penetrar ainda mais a fibra na rede HFC tem dois efeitos significativos para o tronco de fibra, o sistema de distribuição coaxial e a queda do ecossistema da operadora de cabo.  Primeiro, levar o nó de fibra para mais perto do cliente permite reduzir o tamanho do grupo de serviço ou as residências passadas com fibra, eliminando os amplificadores coaxiais caros e com alto consumo de energia. Em segundo lugar, e talvez ainda mais importante, as operadoras de cabo podem aproveitar sua fibra existente adicionando a multiplexação DWDM (Dense Wave Division Multiplexing). A DWDM é uma tecnologia de fibra ótica que permite vários comprimentos de onda, cada um operando com taxas de bits muito altas sobre o mesmo cabo de fibra ótica.

Com a eliminação de todos os ativos (por exemplo, amplificadores, inserções de energia, etc.), redução do tamanho do grupo de serviços, uso de cabo coaxial passivo e DWDM, os gastos operacionais e de capital podem ser reduzidos significativamente e, ao mesmo tempo, as preocupações de capacidade e acesso podem ser solucionadas.

Topologia fiber deep

Ainda mais importante, os custos de atualização para penetrar ainda mais a fibra na rede são relativamente baixos, já que o cabo coaxial de banda larga para a residência já está instalado, tornando o investimento total em tecnologia de banda larga/digital mais barato para cabo do que para os concorrentes.

Planejar, planejar e mais planejamento
As operadoras de cabo estão acostumadas a atualizações significativas em sua infraestrutura de linha fixa e vêm fazendo isso muitas vezes nas últimas duas décadas. Expandir a fibra com maior profundidade levará tempo e esforço consideráveis com decisões informadas, deliberadas e ponderadas das operadoras de cabo para reduzir o tempo de inatividade do cliente ou impactar a receita do serviço.

Mais fibra que aproveite a DWDM precisará ser instalada, pois os nós de fibra são colocados em ramificações mais curtas O corte de ramificações, por assim dizer, em grupos de serviços menores precisará ser projetado para o aumento futuro da largura de banda, espaçando cada uma das ramificações menores dentro de um orçamento de alcance ótico de 100 GbE, mas começando apenas com 10 GbE.
A boa notícia é que a tecnologia ótica digital é relativamente livre de manutenção e amadureceu para ter uma abundância de recursos prontamente disponíveis e econômicos para ajudar.

Ainda assim, as operadoras de cabo precisam continuar medindo duas vezes (ou três vezes!) e cortar uma vez para economizar tempo e dinheiro no que se refere à rede de árvores e ramificações.

|||incontent|sidebar|2|||

|||incontent|video|2|||