Os serviços Ethernet amadureceram para se tornarem o backbone indispensável da nossa infraestrutura de rede global. Atualmente respondendo por quase 80% do mercado global de serviços de conectividade de largura de banda e dezenas de bilhões em receita anual, a Carrier Ethernet continua crescendo a um ritmo saudável: com aumento das transferências por porta a taxas de dois dígitos, de acordo com os números mais recentes da Vertical Systems Group.

Mas o que vem pela frente para o futuro do mercado de serviços de conectividade corporativos? A mudança do setor corporativo para a nuvem continua moldando os requisitos de rede subjacentes e os novos serviços virtualizáveis, como o SD-WAN, continuam ganhando atenção. As empresas estão pedindo cada vez mais flexibilidade, facilidade de uso e velocidade para comercializar os serviços que consomem.

Para atender a essas necessidades, os provedores de serviços continuam avançando em sua jornada de transformação digital, refletindo sobre iniciativas em automação de software, eficiência de rede e agilidade nas operações. Essa jornada transformacional terá um impacto significativo nos serviços que eles podem oferecer, no alcance do mercado e na experiência geral do cliente.

Vejamos como os serviços da Carrier Ethernet evoluirão à medida que os provedores de serviços prepararem seu caminho rumo à transformação digital e como a Adaptive Network pode ajudar os serviços Ethernet a evoluir para proporcionar uma melhor experiência ao cliente a um custo otimizado.

Serviços de Ethernet dinâmicos

Embora as taxas de largura de banda dos serviços Ethernet tenham mostrado uma tendência constante em direção a taxas mais altas, o requisito cada vez mais importante dos clientes desses serviços é a elasticidade na velocidade. Movendo-se para evoluir do serviço de conectividade fixo pré-definido, os serviços Ethernet podem ser solicitados através de portais de autoatendimento, automatizados através de fluxos de serviços, provisionados através de uma rede programável que responde ao controle de software e automação e quando o serviço precisa mover/alterar/adicionar/excluir pontos finais a mesma dinâmica está disponível.

Neste contexto, os serviços Ethernet dinâmicos são serviços com elasticidade na largura de banda automatizada e orquestrada ao longo do ciclo de vida do serviço.

É muito bem aceito e entendido no setor que os serviços dinâmicos "tecnicamente" permitem o consumo de rede similar aos consumos de recursos da nuvem. Mas o desafio permanece em um caminho de negócios viável. Na realidade, esses serviços de conectividade estão transportando tráfego de roteadores, comutadores e ambientes de TI corporativos que continuam exigindo taxas fixas de informações consolidadas (CIR). Além disso, os usuários finais corporativos não tinham meios para atualizar todas as portas UNI corporativas.

Uma opção viável e vencedora tanto para o cliente final quanto para o provedor de serviços é começar a introduzir serviços Ethernet de taxa mais alta sob demanda, junto com os serviços CIR fixos bem aceitos que as empresas e os compradores atacadistas do serviço Ethernet estão usando. Essa abordagem permitirá a manutenção da receita de serviços Ethernet CIR fixos e, ao mesmo tempo, permitirá que os compradores corporativos e atacadistas adotem atributos de serviço Ethernet elásticos sob demanda para determinados aplicativos de negócios, como backup de armazenamento ou migrações de máquina virtual.

Analisamos o potencial de receita das ofertas de serviços híbridos em estudos de caso com provedores de serviços; por exemplo, oferecer serviços de Ethernet metropolitano e nacional com um CIR fixo, mas combinado com elasticidade a uma velocidade 10X mais alta que pode ser iniciada sob demanda. De um modo geral, os estudos de caso mostraram que, com cada aumento de ponto percentual na taxa de aceitação do serviço elástico sob demanda com velocidade 10X maior, há potencial para mais de 2 pontos percentuais de aumento na receita. A oferta de serviços Ethernet dinâmicos pode facilitar a transição para uma receita maior para os provedores de serviços.  

Além disso, o impacto desses serviços inclui melhor tempo para receita e redução de custos. Os estudos de casos de automação prometem, em grande parte, uma economia de 70% no OpEx, e os serviços automatizados têm um tempo de lançamento no mercado mais acelerado, o que permitirá capturar os clientes mais rapidamente, resultando em receita melhorada.

Serviços de Ethernet inteligente emergentes

Desde a sua concepção inicial até agora, a essência dos serviços Carrier Ethernet tem sido o desempenho medido e assegurado do serviço. Protocolos estabelecidos, como o Y.1731 e o TWAMP, para monitoramento de desempenho de serviço e de rede, agora são desafios comuns. À medida que as redes continuam a se desagregar e as operações continuam a se transformar com mais agilidade e automação, o desafio permanece em como lidar com o crescimento dos dados de desempenho coletados por meio de métodos de pesquisa (por exemplo, SNMP) e telemetria (por exemplo, gRPC). Além disso, a sobreposição de serviços virtualizáveis mais recentes, como o SD-WAN em sites de filiais corporativas, cria mais necessidade de compreender verdadeiramente os requisitos gerais de conectividade corporativa.

As métricas de desempenho são capturadas em registros de dados que representam uma infinidade de indicadores de desempenho de serviços, incluindo utilizações de links, latência ou congestionamento de túneis virtuais no núcleo IP, jitter e perda de pacotes. As operações de garantia de serviços são desafiadas para lidar com grandes quantidades de dados, em uma variedade de formas e volume crescente. A visualização, a descrição e o diagnóstico dos dados de métricas de desempenho são essenciais para as equipes operacionais de garantia de serviços, pois todas essas medidas levam a garantir a conformidade com o SLA do cliente.  

Os serviços de Intelligent Ethernet usam as poderosas plataformas analíticas que podem captar o volume, a variedade e a velocidade dos dados de desempenho de serviços, combinando-os com inteligência artificial e técnicas de machine learning para prever tendências de desempenho. Os serviços de Ethernet estão talvez entre os principais serviços de conectividade de negócios que se beneficiarão de análises, técnicas de IA/ML, já que esses serviços de conectividade precisam atender a um desempenho rigoroso para aplicativos de negócios. Há também um benefício de custo imediato, já que na maioria das vezes os provedores de serviços fornecem um pagamento de crédito para os clientes corporativos quando há violação nas métricas de SLA.

Análises e inteligência que oferecem garantia de serviço aprimorada também podem melhorar a receita de serviços, já que os portais de SLA são frequentemente precificados como um recurso adicional acima da conectividade básica ou usado como um recurso de diferenciação para capturar clientes longe de ofertas competitivas.

Fatias Elásticas EVPN

Com a adoção em evolução de arquiteturas baseadas em nuvem, a proliferação de dispositivos e coisas conectados e a demanda insaciável por recursos de velocidade, rede e nuvem passam por constante evolução e mudança.  

Para atender aos requisitos de desempenho dos aplicativos de negócios, os data centers e os recursos de nuvem estão sendo distribuídos para se aproximarem dos usuários finais. E, do mesmo modo, é necessário simplificar e escalar as redes ao mesmo tempo. Agora é bem sabido no setor que dedicar recursos de rede a casos de uso únicos é um modelo altamente ineficiente que resulta em alto custo de infraestrutura (hardware) e operações (software). O fatiamento de rede tem a promessa de resolver a situação de alocação de recursos de rede para casos de uso industrial específicos, juntamente com plataformas de funções de rede virtualizadas e definidas por software (SDN e NFV) para alcançar o desempenho a um custo otimizado.

As EVPNs (redes virtuais privadas Ethernet) estão ganhando força conforme a malha da rede se fatia devido à sua capacidade de fornecer conectividade altamente personalizável, mas privada e segura. As EVPNs fornecem qualquer tipo de conectividade de forma segura e escalável e são consideradas a evolução das VPNs L3, mas criadas com escalabilidade BGP para implementar as VPNs L2 e L3.

Em LTE e em redes 5G emergentes, existe uma quantidade razoável de distribuição de funcionalidades entre as células e o núcleo, a fim de melhorar o rendimento e resolver os desafios de transferência e interferência. É necessária uma conectividade rica e automatizada de qualquer um para qualquer um, para permitir o fluxo de dados e controlar o tráfego sem problemas entre os sites de células e o núcleo. A utilização de métodos tradicionais de IP é considerada complexa e carece de escalabilidade.  Os provedores estão considerando soluções mais eficientes e escaláveis com base em EVPNs.

Provedores de serviços Carrier Ethernet oferecem, historicamente, as EVCs (conexões virtuais Ethernet) como uma solução para backhaul móvel. Essas ofertas agora estão mudando para fatias (slices) de serviço Ethernet como um grupo de EVC (conexão virtual de serviços Ethernet), ampliado com o encaminhamento de IP do roteamento de segmentos A EVPN como uma fatia de rede é uma nova categoria de oferta de serviço Ethernet que pode ser monetizada para ofertas de atacado para MNOs (operadoras de redes móveis).

A nuvem e a mobilidade tiveram um impacto profundo sobre como as pessoas e as máquinas se conectam, e esse impacto está sempre mudando e se expandindo. A chave para o sucesso dos provedores de serviços gerenciados é a capacidade de se adaptar a essa mudança. À medida que as redes se adaptam, os serviços fornecidos nessas redes também devem se adaptar. O caminho a seguir para os serviços Ethernet em nossa era da Adaptive Network tem um grande potencial para melhorar os ingressos a um custo otimizado, e essa é uma boa receita para uma evolução bem-sucedida dos serviços.