Todos nós já ouvimos. Na era 5G, espera-se que o número de dispositivos móveis aumente significativamente e suporte taxas de dados 100x mais rápidas com latência 10x menor, em relação ao 4G LTE de hoje. Essa combinação de melhorias de capacidade e latência, juntamente com o desempenho garantido da rede de ponta a ponta fornecido pelo network slicing, liberará uma nova e lucrativa gama de aplicações de realidade aumentada/virtual, IoT, jogos além de aplicações industriais (como os aplicativos de fabricação Digital 4.0). 

Implementar o 5G requer evolução das redes 4G existentes para redes compatíveis com 5G, inicialmente baseadas na infraestrutura 5G NSA (Non-Standalone), onde o 5G NR (New Radio) aproveitará a infraestrutura 4G EPC (Evolved Packet Core) existente até que a rede 5G Core seja totalmente padronizada e implementada. 

Para acompanhar o ritmo de seus concorrentes e adotar serviços 5G emergentes, você precisa acelerar e minimizar os riscos no planejamento da sua evolução de rede e trazer novos serviços lucrativos ao mercado o mais rápido possível. A questão é: como? 

Existem várias estratégias que você pode adotar para uma migração de rede 4G para 5G bem-sucedida. Nesta série, exploraremos os caminhos que você pode escolher. 

1. Crie agilidade desde o início: 

As soluções Open xHaul garantem uma rede de transporte 5G ágil e de qualidade.  O setor está aprendendo com a experiência. Para o 4G, a CPRI (Common Public Radio Interface) tentou padronizar a conectividade de fronthaul entre os RRHs (Remote Radio Heads) e as BBUs (Baseband Units) configuradas em uma arquitetura C-RAN (Centralized/Cloud Radio Access Network). Com o tempo, porém, a implementação da CPRI se desviou das especificações abertas da CPRI, resultando na dependência do fornecedor de RAN. Para garantir que você não esteja preso a soluções proprietárias em sua rede de fronthaul, escolha uma solução baseada nos padrões abertos do setor (eCPRI, O-RAN), que foram criados para oferecer suporte a ambientes com vários fornecedores. Dessa forma, você pode escolher as melhores RRHs, BBUs e a melhor rede de transporte que as interconecta, sem restrições ou limitações impostas pelos fornecedores. As redes de fronthaul abertas padronizadas estimularão o mercado de serviços wholesale de conectividade de fronthaul, da mesma maneira que muitas operadoras hoje alugam serviços de backhaul.

2. Habilite Bandwidth-On-Demand com infraestrutura escalável da estação radiobase:

A infraestrutura da estação radiobase que faz o backhaul do tráfego 5G deve escalar em uma ordem de magnitude para suportar os novos RRHs 5G com interfaces Ethernet eCPRI - normalmente de 10GbE e 25GbE. Espera-se que as redes 5G xHaul também transportem tráfego 4G existente, para economia de escala por meio de um roteador de estação radiobase convergente de 1GbE/10GbE/25GbE mais simples e de alta densidade, no qual os links de backhaul de alta capacidade podem se beneficiar de interfaces de 100GbE/200GbE de alta velocidade e dos mais recentes conectores ópticos.

3. Maximize o desempenho do serviço com mais capacidade na borda da rede:

Para lidar com o 5G NRs de alta capacidade e oferecer suporte a aplicações 5G baseadas em ultra-reliable Low-Latency Communications (urLLC), o desempenho na borda da rede deve ser dramaticamente aprimorado. Além disso, o menor alcance das radiofrequências utilizadas no 5G que transportarão a maior parte do tráfego, significa que você precisará implantar um número adicional significativo de macrocélulas e microcélulas para solucionar problemas na cobertura, aumentar a capacidade em áreas de uso intenso etc.

Tudo isso significa que você precisa de opções de infraestrutura "do tamanho certo" para uma ampla variedade de tipos de células 5G, configurações e casos de uso suportados. Eles variam de plataformas que trabalham à temperatura estendida e que podem ser localizadas em gabinetes na rua ou em edifícios próximos às populações de assinantes, até soluções maiores, de baixa latência e de maior capacidade e densidade que podem suportar os requisitos de transporte em sites de macrocélulas. Interfaces ópticas de alta velocidade de 100GbE/200GbE no acesso resolvem os desafios de escalabilidade e custo por bit na borda da rede - colocando maior capacidade e desempenho mais perto de onde o conteúdo é consumido.

O caminho para o 5G é mais do que uma simples atualização de rede. Por fim, a escalabilidade, a automação e a abertura ajudarão a facilitar a transição. Meu segundo post nesta série analisa  outras estratégias chave para otimizar a evolução da sua rede de 4G para 5G, e o terceiro e último post da minha série explora como as operadoras de rede wholesale na região podem estar preparadas para fornecer às MNOs soluções 4G escaláveis e preparar suas redes para oferecer suporte aos serviços 5G em um futuro próximo, incluindo conectividade e hospedagem RAN